Buscar
  • Dra. Fernanda Mauro

Aplicativos que monitoram a fertilidade. Usabilidade, acertividade e confiabilidade.



A monitorização da fertilidade é um método usado há décadas e, atualmente, sua procura vem crescendo frente ao desejo das pacientes serem “hormônios free” (livre de hormônios).

A temperatura corporal basal, modificações do muco cervical, dosagem hormonal urinária/ sanguínea e análise salivar estão entre os métodos contraceptivos baseados na detecção da ovulação.

Nosso foco de hoje é entender como funcionam os aplicativos de celular para controle da menstruação e ovulação.


Existem diversos aplicativos que se propõe a avaliar a Janela de Fertilidade das usuárias, ou seja, o período do ciclo menstrual em que está sujeita a engravidar, avaliando esse período baseado na temperatura basal corporal da paciente.


- A Janela de Fertilidade é a mesma coisa que ovulação?


Não, a ovulação é um processo pontual do ciclo menstrual. A "janela de fertilidade" é o período total de dias que a mulher esta sujeita a engravidar, levando em consideração a vida útil do espermatozóide e do óvulo

Embora um óvulo sobreviva somente por 24 horas, o espermatozóide pode permanecer ativo por até 5 dias, ou seja, um casal pode engravidar tendo relações sexuais 4 a 5 dias antes da liberação do óvulo.


- Por que quero saber a minha janela de fertilidade?



Conhecer a janela de fertilidade tem importância tanto para pacientes que desejam gestar, quanto para aquelas que querem usar um método contraceptivo não hormonal convencional. Ela trás mais flexibilidade para o casal planejar as relações sexuais. Sabendo aproximadamente o período ovulatório, podem tomar a decisão de ter relações mais frequentes aumentando a chance de engravidar ou usar um método de barreira/ evitar relação sexual nesse período.


- Como o aplicativo consegue definir o período em que estou ovulando?


A partir de um algoritmo matemático que calcula a janela de fertilidade. O cálculo é feito avaliando o dia da menstruação e as flutuações da temperatura ao despertar da usuária (realizada por um termômetro digital, a temperatura pode ser bucal, vaginal ou axilar). O algoritmo faz o cálculo baseando-se pelos ciclos anteriores da paciente, independente de serem irregulares.

Para dar mais confiabilidade no aplicativo, existe a opção de acrescentar a dosagem hormonal.

Após esse cálculo, o aplicativo divide os dias em Verdes (dias seguros) e Vermelhos (não seguros), dependendo do risco que ela tem para engravidar naquele momento.


- Por que a temperatura corporal basal serve como parâmetro para medir a janela de fertilidade?


Desde 1906, há estudos sobre esse tema e percebeu-se que, se não houver influências externas, um dia antes da ovulação, a mulher fica com a temperatura mais baixa do ciclo. Ao passar dos dias, ela vai aumentando e estabiliza até retornar ao normal. É um processo cíclico.

Frente a essas flutuações, existem cálculos que determinam o período ovulatório e de risco para engravidar.


- O aplicativo é confiável?


Precisamos de estudos mais longos e comparativos com outros métodos para dar mais credibilidade para esse método.

Na atualidade, apenas temos estudos que avaliaram usuárias do aplicativo durante um período curto, por poucos ciclos (média de apenas 6,3 ciclos, o ideal seriam 12) sem comparação com outros métodos. Além disso, grande parte das pacientes não informavam se usavam um método contraceptivo adicional ou evitavam relação sexual no período de risco, dificultando a análise de probabilidade de gestação caso feito corretamente.

Como o estudo não se adequava a todos os quesitos, não podemos fazer uma comparação direta entre a eficácia do aplicativo comparado ao anticoncepcional hormonal oral, por exemplo.


Apesar dessas adversidades, podemos considerar que a efetividade dos métodos contraceptivos baseados na detecção da ovulação depende de dois fatores:

1- O cálculo ser feito corretamente

2- O nível de informação dada pela paciente e seu comprometimento com o método


Sabidamente o algoritmo proposto pelo aplicativo tem menos chance de falha quando comparado com o cálculo feito pela própria paciente, o problema é que há uma necessidade de extrema dedicação da usuária para esse cálculo ser feito da forma ideal.


- Qual o maior problema da medida da temperatura corporal basal?


Existem inúmeros fatores externos que contribuem para sua alteração, como infecção (exemplo, uma gripe), bebida alcoólica, estress, noites mal dormidas, mudança da temperatura do quarto, uso de alguma medicação.

O aplicativo só prevê alguns desses fatores se a usuária descreve a alteração ocorrida.


- Então, a paciente continua protegida mesmo com os fatores externos?


Caso tudo seja especificado, a segurança do método tende a se manter, o grande problema é que o algoritmo corrige o ciclo baseado no risco, dessa forma, aumentando os dias vermelhos e diminuindo os dias verdes – seguros. Logo, ao longo do mês, a paciente terá poucos dias seguros, necessitando de um método contraceptivo adicional ou mantendo a abstinência por um tempo maior. Esse é o maior motivo da desistência das usuárias desse método.



Diante disso, se seu interesse for engravidar, o aplicativo ajuda a identificar o período fértil, caso seja contracepção, ajuda a evitar esse período. Lembre-se de que a dedicação e comprometimento com o que é proposto são fundamentais.


Ainda não há estudos comparando esse aplicativo com os outros contraceptivos, mas existem outros métodos não hormonais que já são consagrados e eficazes, procure seu ginecologista para maiores informações.



Bibliografia


Elina Berglund Scherwitzl, Kristina Gemzell Danielsson, Jonas A. Sellberg

& Raoul Scherwitzl (2016) Fertility awareness-based mobile application for contraception,

The European Journal of Contraception & Reproductive Health Care, 21:3, 234-241, DOI:

10.3109/13625187.2016.1154143

#infertilidade #contracepção #ovulação #anovulação #ICGO #Endometriose #fertilidade #aplicativo

71 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo